Depois das buscas no final de janeiro, o PJ enviou novamente dezenas de inspetores para fazerem as buscas, numa iniciativa ligada ao caso dos «emails».

O Diretor do departamento jurídico das águias terá alegadamente subornado três funcionários judiciais  para lhe fornecerem peças processuais do chamado ‘caso dos mails’, sendo esta manhã detido pela Polícia Judiciária.

Foi esta a forma encontrada pelos encarnados, desde junho do ano passado, para tentarem acompanhar a par e passo tudo o que estava a ser feito pela Justiça – e ao mesmo tempo anteciparem eventuais operações da PJ. Os oficiais de justiça também terão passado a Paulo Gonçalves documentos de processos em que são visados dirigentes do Sporting e do FC Porto.

Os funcionários dos tribunais de Guimarães e de Fafe, um dos quais está também detido pela Unidade de Combate à Corrupção da PJ, entraram no sistema CITIUS – base de dados da justiça – com passwords e códigos de acesso deles e abusivamente em nome magistrados do Ministério Público, tendo acedido centenas de vezes a processos judiciais como os casos dos mails e dos vouchers, entre outros. 

Gostou do Artigo ?  

Facebook Comments

Um apaixonado pela escrita e pelo mundo